BENJAMIN FULFORD – “A REVOLUÇÃO IRÁ SE ALASTRAR PARA ISRAEL, JAPÃO E ORIENTE MÉDIO NESTE OUTONO” – 07.08.2017

 

Aviso aos leitores desde informativo que por estar de ferias este relatório foi escrito com antecedência.

A eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos foi um importante passo para derrotar a máfia khazariana em todo o mundo. No entanto, a presidência de Trump, ainda representa uma tentativa de reforma do antigo sistema e não uma verdadeira revolução. Trump tem mantido a Corporação dos  Estados Unidos da America a flutuar, principalmente, com o dinheiro extorquido da Arábia Saudita, Catar e outros produtores de petróleo do Oriente Médio, juntamente com os fundos saqueados do Japão e da Coréia do Sul. Os chineses, também, estão desempenhando seu papel em manter o antigo regime, uma vez que o enorme superávit comercial estrutural deles com os EUA lhes oferece muitos dólares para comprar amigos e influenciar pessoas em todo o mundo. Os Rothschild e outras famílias de linhagens que estiveram dominando o planeta com sucesso, cooptaram os chineses com subornos e lisonjas.

Os acordos de Paris, apoiados por 19 dos 20 países do G20, por sua vez, foram uma tentativa de manter a linhagem de sangue no controle do FMI, Banco Mundial, ONU e outras instituições internacionais, dando aos chineses maiores direitos de voto as custas dos EUA, mesmo mantendo essas instituições firmemente sob seu controle. O problema é que esta reforma se baseia na alegação fraudulenta de que o carbono estaria causando o aquecimento global, o que,  factualmente, não é verdade. 

http://dailycaller.com/2017/07/05/exclusive-study-finds-temperature-adjustments-account-for-nearly-all-of-the-warming-in-climate-data/

Também deixa as antigas famílias no comando. Lembrem-se, de qua as pessoas do planeta Terra não escolheram o chefe da ONU, do FMI, do Banco Mundial, do BIS, etc., tudo foi feito nos bastidores pelas famílias governantes.

É certo de que as facções por trás do acordo de Paris representam o grupo moderado e não genocida dentro da estrutura dominante da linhagem, incluindo as famílias reais da Europa. Eles conseguiram garantir este acordo com a ajuda das linhagens reais da Ásia. No geral, parecem bons, no entanto, simplesmente não são competentes para lidar com o colapso sistêmico de seu sistema econômico, em andamento.

No Ocidente, a atual classe dominante está presidindo o maior evento de extinção em massa, desde que os dinossauros foram extintos há 65 milhões de anos. As pessoas da Europa e do Leste Asiático, as mais produtivas da Terra, estão enfrentando um colapso demográfico. No ocidente, a disparidade de renda, agora, é superior aos níveis que levaram ao colapso do Império Romano.

Adicionando insulto às injúrias, os criminosos por trás do 11/09, a destruição de países como o Iraque, Líbia e Síria, Fukushima, a disseminação de armas biológicas como SARS, Ebola, AIDS etc. ainda não foram presos ou punidos.

Além disso, não estamos a vendo nenhum jubileu ou cancelamento de dívidas. Nem a ver uma redistribuição de ativos obtidos fraudulentamente. Isto é especialmente claro no caso do Choque de Lehman: Provas documentais comprovam que as famílias de linhagem criaram $ 23 trilhões por meio de fraude e usaram esse dinheiro para comprar ativos em todo o mundo e que foram transformados em pechinchas pelo colapso financeiro que elas criaram. Por que esse dinheiro não é confiscado?

Desde a crise de Lehman, os bancos centrais realizaram a chamada flexibilização monetária quantitativa. No entanto, as grandes somas que estão sendo criadas como resultado desta política, estão sendo canalizadas, apenas, para empresas financeiras controladas por mafiosos khazarianos que não fizeram coisas como colocar dinheiro diretamente nas contas bancárias pessoais das pessoas comuns. É por isso que a flexibilização quantitativa teve o efeito de aumentar a disparidade de riqueza. A análise forense mostra que a maior parte do dinheiro fluiu para cerca de 700 indivíduos, então isso significa que não é o 1%, mas sim 0.0000001% que beneficiaram com a impressão de dinheiro.

A razão disso é porque as famílias de linhagem ainda controlam os bancos centrais de propriedade privada para seu próprio benefício pessoal, não para o benefício do planeta e seus seres vivos. Donald Trump, que foi colocado no poder pela linhagem de sangue, se opôs aos Illuminati gnósticos e não mudou isso porque, como presidente do país mais endividado da história mundial, não possui a alavancagem necessária.

Na verdade, ele age conforme o ditado: “se você deve o banco $ 10.000, o seu problema é seu, mas, se você deve ao banco $ 1 milhão, o problema é dos bancos”. É um fato que o governo corporativo dos EUA, em  03  de Maio deste ano quebrou, quando Subsidiária de Porto Rico ficou totalmente inadimplente. No entanto, o show de Washington DC, ainda continua.

Isso porque, como mencionado acima, os credores da Corporações dos EUA, como os chineses, japoneses, sul-coreanos e os produtores de petróleo do Oriente Médio, estão subsidiando suas perdas de US $ 700 bilhões por ano (o tamanho do déficit comercial dos EUA em 2016).

Então, como podemos mudar a situação? A primeira oportunidade virá com o prazo final para o pagamento fiscal em 30 de Setembro da Corporação dos EUA. Todo ano, em torno dessa data, na medida em que o prazo de pagamento se aproxima, assistimos a todos os tipos de manobras. Este ano não será diferente e o governo corporativo dos EUA buscará reverter seus pagamentos após o prazo. Isso resultará em ameaças de guerra, chantagem, extorsão, mendicância, blefes, etc.  Nas notícias, aparecerão como ameaças de guerra com a Rússia, China, Coréia do Norte, Irã e qualquer outra outro que não esteja tossindo dinheiro por sua  proteção. Se esses esforços tiverem êxito, os eventos continuarão ao longo de sua trajetória pela estrada tortuosa e que, também, resultará numa continuação da lenta queda dos padrões de vida no Ocidente, que começou no final da década de 1960.

A alternativa é a revolução mundial. Isso significa ocupar fisicamente o BIS, o Banco Central Europeu, o Conselho da Reserva Federal, o Banco do Japão e outros bancos centrais pertencentes à linhagem.

Isso, teoricamente, tornaria possível a emissão de quatrilhões de dólares para serem usados no financiamento de uma campanha sem precedentes para acabar com a pobreza, deter a destruição ambiental e expansão para o Universo. É claro que as famílias que possuem os bancos centrais privados passaram anos difamando tais ideias com palavras-chaves como “monetizando dívidas”, dizendo que isso levaria à inflação e a gastos irresponsáveis do governo. Isso pode ter sido verdade no passado, quando certos reis decadentes ou governos corruptos tentaram por suas mãos em tais coisas.

No entanto, parem e pensem por um minuto. O que significa “monetização de dívida”? Significa transformar a dívida em dinheiro. Em outras palavras, significa acabar com a escravidão da dívida. Lembre-se que a dívida devida aos banqueiros centrais não é legítima. Os banqueiros não ganharam o dinheiro que eles emprestam às pessoas e aos governos do mundo real fazendo coisas reais, eles apenas colocaram números nos computadores. Então, monetizar suas dívidas simplesmente significa renunciar à escravidão por dívida.

Claro que, se você apenas imprimir grandes quantidades de dinheiro, digamos, depositando um milhão de dólares em cada conta bancária num país, o resultado seria uma orgia inflacionária seguida por uma grande dor de cabeça.

No entanto, existem exemplos de bancos centrais governamentais que criaram enormes benefícios. 

O Canadá, de 1938 a 1973, usou seu banco central de propriedade do governo para: Pagar os gastos com Segunda Guerra Mundial, construir do sistema de canais que liga os Grandes Lagos ao Oceano Atlântico, construção da Rodovia TransCanada, a maior do mundo, pagamento dos custos com educação, pagamento dos custos do Seguro Saúde, Finanças, obras públicas, despesas com militares, etc.

Isso foi feito sem impostos ou dívidas.

Antes e durante a Segunda Guerra Mundial, o governo militar japonês, também, pagou por seu gigantesco esforço de guerra, principalmente usando o dinheiro criado por um banco O governo militar japonês, central nacionalizado. Embora eu não aprove as ações dos regimes militares japoneses na China e em outros lugares, o que estou dizendo é que um grande empreendimento como a tentativa de conquista da Ásia foi financiada principalmente por um banco central de propriedade governamental.

Se o Conselho da Reserva Federal, o Banco Central da UE e o Banco do Japão fossem nacionalizados, seria possível financiar uma campanha de quatrilhões de dólares para acabar com a pobreza e a destruição do meio ambiente, financiamento de pesquisas para a busca da  imortalidade, exploração do Universo etc. Isso é completamente realista e factível.

Este Outono será a nossa próxima chance de tornar isso possível. A hora de conversa acabou, é hora de agir. 

 

Autor: Benjamin Fulford 

Fonte primária: 
http://benjam20infulford.net 
http://benjaminfulford.typepad.com

Fonte secundária: http://conspireplanet.blogspot.com.br/

Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge

1 Comment on BENJAMIN FULFORD – “A REVOLUÇÃO IRÁ SE ALASTRAR PARA ISRAEL, JAPÃO E ORIENTE MÉDIO NESTE OUTONO” – 07.08.2017

  1. Esclarecedor, para mim com pouco estudo mas com senso de observação, me a clara a vivência e o olhar para o planeta Terra e como nos conduzimos na historia, de povos, classes e gerações, valeu!

E aí gostou? Deixe um comentário, será muito apreciado...