BENJAMIN FULFORD – “EUA E RÚSSIA IRÃO PRESSIONAR FRANÇA E ALEMANHA CONTROLADAS PELOS ROTHSCHILDS” – 29.05.2017

 

 

A divisão na estrutura de poder ocidental entre gnósticos Illuminati meritocráticos e famílias de linhagem khazariana, foi observada durante a reunião do G7, na semana passada. Para aqueles que seguem o protocolo diplomático normal, a guerra de palavras, durante e após a reunião entre alemães e franceses de um lado e britânicos e americanos do outro, foi sem precedentes no pós-guerra. Por exemplo, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, chamou os alemães “muito, muito maus” e ameaçou parar de importar automóveis alemães para os Estados Unidos.
Também, não mencionou o artigo 5º, a cláusula de defesa coletiva em seu discurso na OTAN, basicamente, o que implica que a Rússia poderia ir em frente e atacar a França e a Alemanha sem se preocupar com a ajuda americana a esses países que seriam derrotados pela a Rússia em semanas.
Por sua vez, após o encontro, a chanceler alemã, Angela Merkel, disse que “a Europa deve tomar seu destino em suas próprias mãos” e observou que a Grã-Bretanha, com Brexit e os EUA, com Trump não foram parceiros confiáveis. A escrava alemã e o presidente francês Emmanuel Macron, seguindo ordens de seus mestres, deliberadamente desprezaram Trump e tentaram ferir sua mão num aperto de mão.
Esta tentativa de ferimento contra Trump, bem como a guerra civil que grassa em Washington DC, levou as mídias oficiais chinesas a comentar que a democracia ocidental “está desmoronando.”
O tom geral do artigo, também, está apoiando as alegações da NSA que o presidente chinês, Xi Jinping trabalha para os Rothschild, porque ele segue de perto as mentiras da mídia corporativa sobre Trump e parece prever que Trump sofrerá “impeachment”, resultante do tópico “Rússia”. Claro que os chineses estão desgostosos com Trump, por terem investido pesadamente em Hillary Clinton que lhes prometeu o Japão como recompensa, caso ela vencesse as eleições presidenciais.
Na realidade, o que temos aqui, de fato, é uma divisão entre os países que ainda estão sob o domínio da linhagem da máfia khazariana e aqueles que estão andando em direção da meritocracia. Em outras palavras, Merkel, que como a filha de Hitler, é um membro da família de Saxe-Gotha-Rothschild, está colocando cercos para (defender) as linhagens khazarianas na Europa, mesmo que os Estados Unidos abandone a eles. O Reino Unido e Canadá, é claro, manterão o mandato com a linhagem, porém, apoiado publicamente a vista de todos, não se escondendo atrás de mentiras e assassinatos como é o caso na Alemanha, França, Itália e outros países.
Fontes do Pentágono e agências dentro dos Estados Unidos, por sua vez, concordam que a batalha contra os khazarianos que ainda estão em Washington DC se aproxima de sua fase final. Zbigniew Brzezinski, (famoso por dizer) “é mais fácil matar um milhão do que convencer um milhão” “foi enviado ao encontro de seu mestre” Rocky “[David Rockefeller]”, disseram as fontes. A morte de Brzezinski significa que o principal arquiteto da histérica campanha anti-russa em DC acabou e que esta campanha começará a murchar. Na verdade, a elite de Washington DC, agora, em estado de puro pânico, uma vez que ficou esclarecido que os supostos e-mails russos de Hillary Clinton que vazaram, não eram outros, senão, oriundos do membro do Partido Democrata, Seth Rich, que foi assassinado como resultado.
A morte de David Rockefeller significa que toda a rede de controle das brigadas de assassinato ligada ao seu Conselho de Relações Exteriores, Bilderberg e equipes da Comissão Trilateral de controle mental, estão em colapso. Essa é a verdadeira razão para o pânico.
Além disso, os esforços da facção neocon genocida khazariana para recuperar o controle sobre o FBI e, portanto, da polícia interna nos Estados Unidos, foram derrotados, quando o “agente israelense de dupla nacionalidade e agente do Mossad, Joe Lieberman”  foi vetado e não conseguiu seu cargo.
Além disso, Jared Kushner, o principal agente khazariano do regime Trump, está com sérios problemas, de acordo com várias fontes. “Kushner não só pode ser demitido, mas também processado”, dizem fontes do Pentágono. Segundo a polícia, os militares e o Congresso estão provando que tanto Trump, Kushner, Lockheed Martin, Goldman Sachs e o ex-general David Petraeus receberam ou distribuíram propinas num negócio de armas de 400.000 milhões de dólares com a Arábia Saudita anunciou.
Falando em Arábia Saudita, talvez, agora, seja um bom momento para ver o resultado da visita global de Trump para os principais centros de poder monoteístas da Arábia, Israel e o Vaticano e ver o que está acontecendo no quadro maior.
A primeira coisa a considerar é que o chamado de Trump para (criar) uma OTAN Árabe, confirma que os EUA e a Rússia chegaram a um acordo sobre a divisão do controle do Oriente Médio e seus recursos petrolíferos. Nesta divisão, a Rússia obteria influência sobre a Turquia e o Império Persa seria revivido, incluindo Irã e partes do Iraque, Síria e Líbano. Os EUA ficariam com Israel, os países árabes do Conselho de Cooperação do Golfo, Jordânia e Egito. Para o Pentágono significa que o seu stand privado de gás estará disponível para abastecer suas máquinas de guerra e seus cofres.
O fato de que Trump sabia sobre o Papa e de que a conversa foi melhor do que o esperado, também, destaca a existência de uma aliança patriótica cristã entre o Vaticano/Rússia e os Estados Unidos contra os khazarianos adoradores de Satanás.
De acordo com fontes do Pentágono, Trump também deixou uma mensagem para os khazarianos, durante sua visita a Israel, recusando-se a deixar o primeiro-ministro israelense e líder satanista Benyamin Netanyahu tirar uma foto com ele no Muro das Lamentações. Eles explicam que a mensagem era que: A cidade velha de Jerusalém é um território ocupado que deve ser devolvido para a Palestina.
Também foi o “Riot Act” de Trump sobre a guerra, quando visitou o Papa, de acordo com fontes jesuítas. Eles avisaram para Trump nem pensar em usar sua chamada OTAN árabe como uma desculpa para tentar iniciar uma 3ª Guerra Mundial entre árabes e iranianos. Trump sabe que ele será demitido se tentar, dizem as fontes.
Melania Trump também deixou claro suas alianças durante a viagem ao se recusar usar véu na Arábia Saudita, durante uma visita ao Museu do Holocausto (Holocaust), todavia, usando um na sua visita ao Papa. Em outras palavras, sua mensagem era que a força de controle na presidência de Trump, tanto quanto lhe dizia respeito, era o Cristianismo e não o Judaísmo ou o Islamismo.
O presidente russo, Vladimir Putin, na semana passada, também deixou bem claro que a força motriz de seu regime era o Cristianismo. Numa cerimônia de consagração de uma igreja que foi construída para comemorar o aniversário da Revolução Bolchevique de 1917, Putin disse: “Esta igreja é dedicada à ressurreição de Cristo e os novos mártires, ou seja, à memória daqueles que sofreram durante anos de perseguição antirreligiosa e que morreram durante este tempo de repressão “. 
Escusado será dizer que as pessoas por trás do que os russos passaram, durante o século XX, são os mesmos satanistas que estão por trás da guerra neoconservadora que têm feito de tudo para tornar os Estados Unidos, no Século XXI, a principal fonte do mal no mundo.
No geral, os satanistas enfrentam a derrota final no Ocidente e, então agora, o principal campo de batalha contra eles está se movendo para a Ásia.
Aqui, os satanistas atacaram as Filipinas com seu exército mercenário ISIL, em razão do presidente das Filipinas, Rodrigo Duterte não só ter expulsado os khazarianos com ajuda chinesa e russa, mas de, também, de estar fechando suas operações de tráfico de drogas e pedofilia, disseram fontes do Pentágono. Duterte “prendeu 3.000 traficantes de crianças que operam na Internet, após reunião com Trump”, dizem. Talvez seja por isso que a mídia satanista khazariana publicou a transcrição de um telefonema entre Trump e Duterte.
Outra coisa que ainda paira na Ásia, é claro, é a situação na Coreia do Norte. Fontes da direita japonesa próximas ao Imperador, estão agora dizendo que a Coreia do Norte por um longo tempo vem trabalhando com Israel na criação de “Babylon 2.0″, ou seja, na escravização do mundo para os khazarianos. 
Também, existe uma intensa luta de poder acontecendo abaixo da superfície, tanto na China como no Japão. A mídia e parte do pro-establishment no Japão, claramente, está numa campanha para eliminar o primeiro-ministro Shinzo Abe, exibindo nada menos que seis escândalos diferentes, a maioria deles relacionados a obscuros negócios imobiliários relacionados a ele. Uma fonte próxima a Abe, disse que ele está muito doente, todavia está determinado, se necessário, a morrer no cargo. O escravo de Rothschild e Ministro das Finanças Taro Aso, queria substituir Abe, mas o seu principal patrocinador peso pesado LDP Kaoru Yosano, foi morto na semana passada, de acordo com fontes da direita japonesa.
Além disso, uma fonte da direita, disse que a pessoa que recentemente se encontrou com o imperador para a liberação de fundos não foi o servo de Rothschild, Michael Greenberg, como relatado por este boletim, e que, na verdade, foi o diretor da Agência de Defesa e Inteligência, Michael Flynn, que de acordo com a fonte, disse que foi enviado por Henry Kissinger e que voltou de mãos vazias, disse ele. De qualquer modo, o próprio Kissinger terá que encontrar pessoalmente com um membro da Sociedade Dragão Branco –SDB, para provar que ainda está vivo e que passa de uma imagem gráfica de computador gerada por uma inteligência artificial.
Por sua vez, a China fontes das facções da máfia chinesa de Xangai, Guangdong e Taiwan, estão dizendo que uma campanha para remover o presidente Xi Jinping está em pleno andamento. Eles dizem que sua campanha impopular contra a corrupção tem sido apenas uma desculpa para eliminar seus rivais.
Os chineses, também, têm vindo a acelerar seus planos para escapar do sistema financeiro ocidental controlado pelos khazariandos, após o recente declínio na classificação de crédito da China pela Moodys. Os chineses estão por trás do bitcoin, de acordo com fontes de sociedade secreta asiática, razão pela qual o bitcoin subiu de valor, depois do anuncio desse rebaixamento. Era como se os chineses tivessem dito que a raquítica plataforma Windows Vista em que o sistema pagamentos internacionais SWIFT dos khazares se baseia está obsoleta. Os asiáticos agora utilizam criptomoeda apoiada por Ouro.
 
 
Autor: Benjamin Fulford 
Tradução: Sementes das Estrelas / Candido Pedro Jorge

E aí gostou? Deixe um comentário, será muito apreciado...